sábado, 26 de junho de 2010

A Copa do quarto - 8

Tiki-taka, tiki-taka, tiki-taka... o relógio espanhol pode atrasar, mas não falha. Está lá com seus ponteiros rotos, sem o bom funcionamento de dois anos atrás. Mas ainda assim é um relógio de valor, de boa marca, especial.

A seleção da Espanha passou em primeiro lugar e evitou o Brasil. Agora encara Portugal. De Cristiano Ronaldo, do excelente goleiro Eduardo e – até o momento para mim – do melhor lateral-esquerdo da Copa, Fábio Coentrão.

Cuidados? Os lusos que fiquem de olho em Villa “Maravilla”. Vai cair justamente no lado mais fraco da defesa: a direita. Paulo Ferreira, Miguel e Ricardo Costa são fracos. Se fosse Queiroz, metia o Pepe por lá – e fazia um trinco.

A Fúria que se preocupe com Coentrão nas costas de Sérgio Ramos. Além de se achar o Pelé, o lateral-direito merengue sobe demais ao ataque. Ronaldo deve atuar por lá, como fez no segundo tempo contra o Brasil. Lucio penou para persegui-lo na cobertura.

Enquanto isso, temos Brasil x Chile. Nos últimos quatro encontros, quatro triunfos canarinho. Vencemos por 3-0 (duas vezes), 4-2 e 6-1. Ou seja, é praticamente inevitável que a gente fique pelas oitavas. Isto é, se não fosse por Marcelo “Loco” Bielsa.

O treinador argentino sabe anular o jogo brasileiro, e com dois bons extremos (Alexis Sánchez e Mark González) vai apostar no contragolpe pelos flancos. Pior de tudo é que temos um lado esquerdo fraquíssimo: Michel Bastos e Felipe Melo marcam mal. Juan tem um senso de colocação maravilhoso, mas sofre com o condicionamento físico há tempos.

Vamos ver o que acontece.

Um comentário:

Leandro Afonso Guimarães disse...

Mara-Villa ter a Xavi para alcançar o topo das Torres. O futebol agradece.