domingo, 23 de maio de 2010

O condutor do último adeus


Pode ser melancolia acumulada ou descrença de momento, mas o fato é que peguei-me pensando naqueles poetas, escritores e astros musicais que morreram cedo. Pode ser loucura, mas não achei má ideia viver tudo de uma vez, o máximo em pouco tempo. Pode ser para chamar a atenção ou causar polémica, mas sempre tive a sensação de que vou durar até os 52 anos.

Hoje, cinco décadas estão além. Não quero envelhecer, e a única forma de evitar as dores e as rugas é na morte. Chamam-me de agoniado e impaciente com as situações mundanas: sou apenas urgente. Urgente porque tenho para mim que as coisas merecem a atenção especial do agora. Sou como uma criança birrenta que quer já, já, já!

O jamais se repete. Aprendi isso. Não acredito (mais) em paixão à primeira vista, não acredito (mais) em envelhecer ao lado, não acredito (mais) em vida ideal a longo prazo. Fui tomado por uma onda devastadora de ceticismo: acredito no instante, e somente no instante. Meus sonhos, ainda que estejam aqui, a assolar a minha (tentativa de) paz, agora são desprezados. Dou de ombros aos desejos íntimos como se fosse uma anedota antiga, batida e sem graça.

Este texto não é uma ode à morte. É uma sinfonia à vida. Cotidiana e plena. Nem mesmo quero eximir-me de responsabilidades e de atuar sem pesar as consequências. Entretanto, o tabu de ir embora para sempre, do sono eterno, não me assusta. O que assusta, e inquieta, é não viver... é simplesmente passar... é apenas existir...

3 comentários:

Sandryne Barreto disse...

Verbos tão próximos e tão distintos...existir e viver. Tô contigo, só passar pela vida existindo não é viver. Viver é passear pela vida, é aproveitar, é caminhar. A próposito, gosto muito mais dessa foto do blog!

Cristiane Alberto disse...

O melhor da vida é caminhar com as malas prontas. Não querer viver tudo agora, mas no que depender de mim não deixar nada para amanhã. Não dever nada a ninguém, nenhum 'eu te amo', nenhum 'vá embora'. Não é fácil, mas é possível e eu tô tentando.

Boa sorte no caminho que você escolher. Mas tente manter suas decisões em perspectiva, porque só morre quem está vivo.

Bjs.

Mary Jo disse...

Tambem reparei logo na foto. Adoro! Tem uma mistura de cores perfeita. Quanto ao texto, mais uma vez a escrita é belissima. E sim, é importante marcar o momento para se constatar que existimos ali e que o sentimos intensamente. Vive Guh, mas sem medo de sonhar e sobretudo com a fé ainda dentro de ti (fé naquilo que quiseres claro).

Kiss*