quarta-feira, 21 de abril de 2010

As mentiras de um "tudo bem"


Quando perguntam “Tudo bem?”, o reflexo é dizer que sim. A gente tem (mais) essa hipocrisia tatuada nos bons modos. Aprendemos que os nossos problemas limitam-se à meia dúzia de pessoas à nossa volta. E olhe lá!

Os nossos problemas não são mais que nossos. Ignorância pensar que eles preocupam a todos. Por isso, por mais cínico que soe a resposta de “tudo bem”, há aqui um instinto nítido – e humano – de preservação da espécie.

Queria eu poder vociferar: “Não, não está nada bem. Do meu futuro, nada sei. Estou perseguindo algo que nem sei se existe. Fico de um lado pro outro, fingindo que sei o que faço, mas a verdade é que estou perdido! Ah, e esse fardo da tese que não se resolve? Cadê o meu orientador para confirmar que assinou os papéis e já está marcada a defesa?

“Não, não está nada bem. Minha saúde está uma merda, não consigo dar três passos sem ficar ofegante e, para mim, sempre atlético e cheio de vontade, ter de ficar recluso num quarto é mesmo agoniante. Queria eu poder voltar a morar sozinho, num apartamento todo para mim. Isso sim que era bom. Mas foram as escolhas que fiz, né?

“Não, não está nada nada bem. Sinto falta de ser amado e cuidado. Queria uma mulher para ter ao lado, para ser companheira das horas em que tem e que não se tem nada para fazer. E não está nada bem porque sou um constante sonhador. Vivo a pensar como seria com ela, que mexeu demais comigo no primeiro dia do ano e não acreditou que tudo tinha sido real.

“Não, tudo está um caos. Minha cabeça, meu coração, meu corpo, minha alma estão uma bagunça só. E, mesmo assim, sinto-me ‘obrigado’ a sorrir e responder ‘tudo bem’! Mas não está... não está!”

Lógico, porém, que nunca faria isso.

3 comentários:

Mary Jo disse...

é mesmo. às vezes dá vontade de apenas ser sincero e disparar porquês.

Andréa disse...

Gustavo,
parece clichê mas isso é o fim de um ciclo.
Recentemente você fez aniversário e um ano novo particular, todo seu, teve início, e com ele as novas possibilidades que podem vir ao seu encontro.
E vocÊ sabe que virão. Seu coração te grita isso todos os dias.
Talvez o que esteja te faltando agora seja espaço. |Porque felicidade só chega quando abrimos espaço para ela entrar.
Funciona também como a sua tese, que vc gastou tanta energia e levou tanto tempo para montar. Agora que já está pronta, a ansiedade é ter uma assinatura, uma validação. Coisa pouca diante do que já se foi.
Portanto, valide você mesmo sua felicidade - jogue fora o que não foi com você, não andou com você. Guarde o passado no seu devido lugar, mande embora as dúvidas.
E e ela, a tal moça, não acreditou que foi real, problema dela. Alguém vai acreditar!!
Tire tudo isso da sua frente, do seu caminho. Daí vai ser mais fácil enxergar o futuro. Mesmo que ele ainda seja obscuro.
Um beijo enorme de alguém que te lê sempre e torce a distância,

Andréa

Ah! antes que eu me esqueça isso tudo tem nome, sabia? É a maturidade chegando por aí...

Anabela da Silva Maganinho disse...

Acho que nunca me identifiquei tanto com um texto como com este. Em tudo, menos na tese que ainda não a entreguei:) E então resolvi comentar apenas para dizer que não estás sozinho nessa... dos "pensamentos" contrários ao "ta td bem":) beijinhos