quarta-feira, 3 de março de 2010

Tomo um banho de chuva


Meu último banho de chuva tinha sido em janeiro de 2007. Foi um banho consentido, e mais: um banho proposital. Estava em casa quando começou a chover e resolvi descer do terceiro andar – ou era segundo? – para molhar-me. Tinha a companhia de uma amiga, e ficamos algumas horas a conversar debaixo do temporal.

Hoje tomei outro. Na mesma Florianópolis do último, mas agora na praia, agora sozinho, agora de surpresa. Um banho de chuva é uma daquelas entidades naturais mágicas que a gente sempre quer dividir com alguém. A não ser que sejamos o Gene Kelly em Singin' in the Rain.

Uma chuva que se preze, daquelas "de Verão", com os pés na areia, merece não menos que uma boa parceria. E descontem os medos de resfriado, pneumonia, raios... nada disso combina com o espírito selvagem do banho de chuva. O mar sim. Um beijo umedecido também.

É verdade: o amor combina com chuva. Tem lá a sua graça estar em dois quando os pingos doces começam a atingir os ombros ou descer pela testa. Tem lá a sua fantasia os corpos enxaguados colarem-se com volúpia. A chuva e o amor são fotogênicos, são cinematográficos, são artísticos.

Talvez por estar só eu tenha corrido quando a chuva apertou, ainda que em alguns passos preferisse ser alcançado pela água (e pelo amor). E tenha lamentado que a ducha quente tenha sido solitária também. Porque para além do banho de chuva a dois, há o que vem depois.

É difícil decidir qual momento é o melhor.

4 comentários:

Luciana Lopes. disse...

Gustavo;
meu comentário de hoje não é referente a esse texto em si, mas, a todos os seus ultimos textos.
Não tenho acompanhado muito o seu blog e isso é justificado tanto pela falta de tempo quanto pela intensidade de suas palavras. Sim, é isso mesmo,a intensidade do que escreves.
Estou numa fase meio......não sei ao certo como e as tuas palavras, em grande parte das vezes, ajudam -me e muito. Se não para encontrar alguma solução, pelo menos para acalentar meu coração.
Teu modo de expressar as coisas e os sentimentos é tão simples, mas ao mesmo tempo tão certeiro e franco.
Você escreve com o seu eu e isso é mágico sabia?
Jamais deixe de colocar as palavras em algum lugar...seja no blog ou num caderninho de anotações...... pois no meu caso, eu revelei a ti o poder delas porem, tenho certeza que as mesmas atingem varias pessoas de uma maneira que jamais saberá qual é.
Bom fim de semana.

Mary Jo disse...

Perfeito =)

Li na diagonal todos os teus textos e fiquei fã. O teu género de escrita é muito bom. Leve e intenso ao mesmo tempo, e melhor, muito muito cativante!!!

(adoro banhos de chuva..
assim como sentir a chuva cair percorrer o rosto..)

beijinho**

Andréa disse...

Gustavo,
que delícia de texto!!
Só me intriga um detalhe: com tanta vida assim, como que um moço como você continua a tomar banhos de chuva sozinho??
UM beijo grande,
Andréa

Gustavo Jaime disse...

Sei lá, Andréa. Sei lá...