terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

Eu não quero...

Eu não quero que este blog seja só de fragmentos. Eu não quero baixar o nível, não quero perder o foco, não quero usá-lo para mandar recados. Eu não quero, vira e mexe, estar remexendo em processos da minha alma. Não quero desobrigar-me a pensar, nem estimular o esquecimento.

Eu não quero fazer da escrita algo maçante. Não quero parecer triste, quando eu efetivamente não devo parecer nada. Não quero, de modo algum, continuar a sonhar, enquanto o tempo foge de modo sorrateiro. Mas também não quero mais ser sozinho, e dividir as descobertas apenas comigo.

Eu não quero vagar sem rumo, não quero arriscar sem medo, não quero sorrir sem colo. Eu não quero, mais que qualquer coisa, abdicar do desejo de sentir-te. Se trago vários não quereres é porque, no fundo, no fundo, eu não quero mesmo deixar de querer. E é querendo que vou. Simplesmente, vou...

Nenhum comentário: