sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Esquecer para lembrar


Parece, às vezes, que já esqueci o teu perfume, que esqueci o teu olhar, que esqueci até mesmo o jeito que sorris. Parece que estás tão distante em minhas lembranças quanto a distância entre nós dois. Parece que foi tudo tontería, que o que disse perdeu-se no limite do vazio. Parece que nada aconteceu.

Mas se às vezes parece tudo isso, parece tudo irreal, é porque tenho de aprender a esquecer para poder lembrar.

Um comentário:

Sandryne disse...

Eu sei exatamente o que é isso, Gustavo. Apesar de que, no meu caso, eu me lembro que tenho que esquecer (e não esquecer para lembrar) deixando a vida seguir seu rumo.