sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Natal de luzes, compras e amigos


As luzes de Natal embelezam a capital portuguesa. Não sei o quanto se gastou em enfeites brilhantes, porém Lisboa não mais escurece. O coração, no Largo de Camões, muda de cor ao toque do botão – e qualquer um pode fazer isso. As velas de cabeça para baixo estendem-se pelo Chiado. As estátuas dos ilustres ganharam o toque de embrulho de presente.

Os festejos de fim de ano chegam e os centros comerciais lotam. É a euforia do consumismo, em seu momento de ápice. E como o europeu gosta de gastar! – o que tem e o que não tem. O inverno também propicia o frenesi: as pessoas vão às lojas para sair de casa, remodelam o guarda-roupa para ocupar o ócio.

Já não há mais novidade no ciclo. Em 2008, passei o Natal sozinho. Confesso que a data me é indiferente. Agora, devo celebrar com os amigos, numa ceia simples. O réveillon continua em território espanhol: salta da pacata Badajoz para a agitada Barcelona.

E no dia 25 de janeiro desembarco em São Paulo. Mas ainda não é o regresso definitivo, podem acreditar.

Nenhum comentário: