domingo, 20 de dezembro de 2009

A Maldição das Viradas


De gorro e aquecedor no máximo, duas meias e casaco pesado, olheiras, falta de ar e barriga roncando, escrevo sem nenhum estilo. Há três noites que durmo mal, por conta de uma infecção nos brônquios. Tentei de tudo, mas o melhor que tive foram quatro horas de sono – na cama, o que é uma vitória.

De novo, devo adormecer sentado, entre os vídeos do Youtube e a maratona de Friends. Nem consegui ler, senão adiantava minha tese. E quando caminhei até o mercado, senti-me um ancião de 26 anos.

De fato, pareço ter a Maldição das Viradas. Coleciono problemas estomacais, brigas conjugais, planos arrasados, mal-estar com amigos, úlcera no esôfago, gripe fortíssima e... agora esta infecção. Mas para além da saúde frágil, ando com mais uns tantos azares.

Não vou fazer balanço de 2009 nem projetar 2010. Acabou meu fôlego.

6 comentários:

Sofia Rodrigues disse...

Ui, onde anda o alto astral brasileiro? Xiça!

Gustavo Jaime disse...

Às vezes é necessário ceder. Diria Pessoa: "É preciso ser natural e calmo,..." e vou seguindo este ensinamento... "na felicidade e na infelicidade". Chega um hora que cansa sempre sorrir e tentar ver as coisas pelo lado bom. Precisamos da dor (e não do sofrimento) e também de achar que tudo dá errado. Porque logo depois o jogo vai virar e vamos saber também entender que a tempestade passou... as más fases são prelúdios de que dias melhores virão.

Sandryne disse...

"A dor é inevitável, o sofrimento é opcional". Tenho isso como mantra, Gustavo...depois de tanta coisa que já tive que enfrentar nessa vida. Eu penso que devemos nos respeitar. Sentir, chorar, querer colo...mas sempre focados a seguir em frente e dar a volta (seja por cima, pelo lado)...mas sair de onde nos faz mal para onde nos fizer bem. Beijo

Jehoel disse...

Mas qual maldição!? No ano passado só me lembro de uma épica viajem onde até pelo Coliseu de Elvas passámos! Tinha que repor a verdade, meu caro! Mesmo que em outras anos tenha sido difícil, pelo menos no ano passado foi "fixe"! ;)

Sofia Rodrigues disse...

É o que eu digo Joel, o Gustavo é o Calimero versão humana ;)

Gustavo Jaime disse...

Alto lá que a Maldição é minha e trato-a como quiser. Se estão com inveja que arrumem os seus próprios maus agouros... vê lá se é possível estarem a invejar as mazelas dos outros! Hehe. Gosto apenas de dar um tom dramático a algumas cenas: ou a vida seria monótona demais, nos momentos altos e nos baixos.

Aprendi com os gregos e desenvolvi com Nelson e Pessoa. Grandes homens amaldiçoados pela genialidade.