quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Diria que é um guia (Parte 2)


Continuo na ambição do despretensioso manual. A amiga pergunta-me sobre o curso, se dá para pagá-lo com o dinheiro que se ganha aqui ou se é melhor trazer uma grana extra. Também quer saber sobre emprego e essas coisas. Eis o segundo e-mail escrito:

Eu trouxe a grana para pagar o mestrado. Quis garantir. Ah, em comparação com o restante da Europa (e até com o Brasil), aqui em PT é mesmo mais barato. O meu saiu a 2.500€, dividido da seguinte maneira: 500€ no 1º semestre, 500€ no 2º e 1.500€ no último. Agora abaixou: está 2.000€.

O bom é que deves vir numa época de contratações nas lojas e cafés. O ano letivo começa em setembro/outubro e esses lugares buscam novos funcionários por conta do Natal. Trabalhei num café de novembro a maio, e desde junho estou numa empresa de comunicação, fazendo clipping. Ganho menos por hora que no café, mas trabalho mais (então tiro mais no fim do mês). Vale você estar atenta a uma coisa aqui: recibo verde. Que é uma espécie de certificado de trabalho autónomo. Você deixa de contribuir para a segurança social (espécie de INSS), perde os subsídios que tem direito, mas recebe bem mais por hora. Para se ter uma ideia, tirava 2,60€/hora no café com contrato de trabalho temporário. Depois, com o recibo verde, subiu para 4,50€.

Essa é mesmo a média que se recebe aqui em Portugal. É pouco porque o custo de vida também é baixo. No meu trabalho atual tiro 3,60€/hora. No fim do mês isso me dá uns 600€. Com essa grana consigo viver legal, não regular mixaria e ainda viajar. Sem contar que sobra uma boa quantia. Sabendo que isto aqui é temporário, é mesmo válido fazer "concessões" (como o luxo de uma casa só pra si) e juntar um dinheiro pra desbravar a Europa (falar isso pra ti é irrelevante, pois já tens essa noção e esse espírito).

Tem muito ainda a falar que fico "perdido". Vou ajudando aos poucos, e você vai colocando suas dúvidas.

Nenhum comentário: