terça-feira, 22 de setembro de 2009

Oxalá e Fon Fon Fon

Nesta terça-feira, em que a claridade furtou-me os sonhos, aqui vai uma fatia da cultura portuguesa. São dois grupos que fazem um fado diferente, experimental e mais alegre. Já andei por cá a dar dicas de cantores lusitanos (Jorge Palma, Mafalda Veiga, Tiago Bettencourt). Esta imersão é inevitável e enriquecedora.

Apresento primeiro o Óquestrada. A vocalista (Miranda) é superdivertida, tem uma ótima voz e presença de palco muito bacana. Fui a um concerto deles... é empolgante. Sem contar que, reparem bem, o contra-baixo é improvisado: um balde, um barbante e um pedaço de pau.




E logo abaixo estão os Deolinda. Mais conhecidos e antigos, são uma espécie de "precursores" deste estilo. A letra de Fon Fon Fon tem tudo a ver com Lisboa. Sugiro que a procurem por escrito, porque não vão entender metade do que será dito (mas vão pegar-se a dançar).

Um comentário:

Vera disse...

Vi os dois grupos no DELTA TEJO e fiquei fã do primeiro, que curiosamente não conhecia...

Bom ver que vais descobrindo também essas preciosidades...

Beijo