domingo, 13 de setembro de 2009

As três (ou quatro) vizinhas

Sabe aquele imaginário masculino de abrir a janela ou ir à varanda e, pumba!, dar de cara com uma vizinha maravilhosa? Pois invejem-me: tenho três. Ou quatro, porque fiquei tão confuso com o aglomerado de mulheres bonitas que não sei se uma é duas ou duas são uma.

A certeza retumbante – além daquela de serem miticamente lindas – é que são estrangeiras. Inglesas ou alemãs. Talvez ambas. Vou almoçar mais vezes na sacada. Daqui a pouco é outono: a estação que ressente (folhas beijam a terra/o amor cresce na gente).

Nenhum comentário: