terça-feira, 5 de maio de 2009

Autenticidade


Com certa frequência, perguntam o que será do meu futuro. E eu, que há muito caminhava na calçada contrária do planejamento, volto a discutir o porvir. Cheio de dúvidas e ansiedades, mas também de certezas apaziguadoras.

Tudo que vivi até agora é imenso. Porém ainda falta muito. Deixei passar várias coisas, vários aprendizados, várias condições de crescimento. Coisas que ainda vou buscar, por ter essa urgência de colecionar contos. A vida é isso: presença e histórias.

Lembrei de uns versos simples do Paulo Leminski. Simples é modo de dizer, pois o poeta curitibano fazia tudo parecer simples – e essa é a principal mágica dos gênios.

Isso de querer ser
exatamente aquilo
que a gente é
ainda vai
nos levar além

Um além que nunca chegará, mas a vontade de autenticidade nos fará tateá-lo. Porque é esta máxima que tem me conduzido a todos os planos e ideias de futuro: ser sempre autêntico.

Um comentário:

Elis Zampieri disse...

Será que é tempo
Que lhe falta prá perceber?
Será que temos esse tempo
Prá perder?
E quem quer saber?
A vida é tão rara
Tão rara...

[De Lenine pra você...]

Ps.:Eu também te leio. :-)