quarta-feira, 22 de abril de 2009

Ambições


Eu quero ser poeta, quero ser justo, quero ser um pouco de tudo. Quero ser quem não sou, me tornar quem sempre fui, descobrir-me diariamente, divertir-me no impensável. Quero ser responsável e inconsequente, quero ser imprescindível e carente, quero olhar para os lados, caminhar sempre em frente.

Quero escrever, amar, sorrir, ler, cantar, ouvir. Quero preservar quem me entende, entender quem me preserva como amigo, reconhecer o antigo, receber o futuro. Quero gritar no escuro, quero acreditar sem medo, tocar o segredo. Quero criar novas histórias, uma memória que valha, um tempo que fuja, um refúgio no nada, uma sensação partilhada. Quero falar, escutar, dividir com quem sente.

Quero presença: esse pedaço de arte que faz diferença na vida da gente.

Nenhum comentário: