terça-feira, 31 de março de 2009

A se descobrir

Este mundo tem cenários tão belos que é inacreditável pensar que o que está ao nosso redor já nos basta. São tantas culturas e aprendizados, tantas pessoas e enredos distintos, tantas grandezas e minúcias... poder viver várias vidas dentro da nossa vida talvez seja o que há de mais transcendental na existência.

Eternizar-se nos olhares, nos sonhos despertos. Eu sei que nada fica; que tudo é perecível. Mas, às vezes, a gente simplesmente sente que é infinito. E sem saber bem o porquê, desfila com o peito aberto, o rosto sereno e sem medo da morte.

Há muita coisa ainda coberta, e a se descobrir.

2 comentários:

Raquel disse...

Tenho sentido uma ansiedade doida de descobrir. Sobre mim, sobre o mundo... E essa é daquelas vontades que não passam.
Quem sabe um dia eu a mato, né? :)
Beijos

jehoel disse...

Amén...