domingo, 15 de março de 2009

Os dois miúdos

Dois miúdos chegaram ao pé do balcão e espicharam os olhos. Um já passava a fronte do nível máximo. Pediu um batido de iogurte e morango, especialidade da casa. Fazia 27 graus lá fora.

Como era para viagem, servi em dois copos pequenos. O maior hesitou, reafirmou que era somente um batido, quando eu disse que o copo de vidro grande, na verdade, dava dois daqueles de plástico. Mentira.

Mas eles concordaram desconfiados. Entenderam o recado. Deram o dinheiro contado e se foram, entre histórias de super-heróis, videogame e futebol. Conversavam amistosamente, até sumirem ao fim do corredor claro do shopping.

Os dois miúdos voltaram no dia seguinte e se sentiram imensos para ocupar uma mesa ao fundo da cafeteria e ordenar o prestigiado batido, além de uma garrafa d’água. Gelada. Por favor. E lá foi eu servir a dupla de pequenos cavalheiros.

Os atendi com um cumprimento brasileiro. Estranharam. O menor pediu que eu abrisse a tampa de rosca da garrafa. Brinquei com sua (falta de) força. Riram tímidos. O maior bebeu toda a mistura rosa. O amigo abdicou metade da água.

Partiram para os seus contos mágicos deixando-nos gorjeta. Sorri orgulhoso por ainda me deparar com essas maravilhas simples da vida.

2 comentários:

Elis Zampieri disse...

Sorri por ainda me deparar com pessoas dotadas de tamanha sensibilidade para perceber essas maravilhas simples da vida. :-)

Abraços... e sigamos.

Andréa disse...

Tenho certeza de que o sabor desse batido de iogurte e morango nem se compara ao sabor desses "drops" que a vida nos oferece.
Abraço,
Andréa