domingo, 22 de março de 2009

A minha primeira polêmica

O primeiro blogue que tive era sobre futebol. Nasceu em setembro de 2005 com a idéia de comentar o mundo da bola de maneira despretensiosa. Talvez aquilo que escrevia fossem crônicas. Ao menos era assim que eu lidava com os textos, e chamei o espaço de Crônicas Esporte Clube – ou apenas CEC.

Tenho poucos leitores daquela época. Meu pai era assíduo participante. Mas, afinal, família é família. Posso cometer uma heresia apoteótica ao cravar que o único fiel segue sendo o Leandro Guimarães. De qualquer modo, o blogue nem era assim um local de exposição: valia mais como uma catarse futebolística.

Escrever é um pouco (ou muito) disso. Eis que cá estou – e desde 2005 não abdiquei de publicar umas linhas no www. O CEC durou dois anos, arrumei outras ocupações na logosfera até embarcar no D’além Mar. E agora resgato o passado nostalgicamente...

Vivi ontem a minha primeira polêmica em Portugal. Uma polêmica que varreu as ruas, monopolizou os jornais e pautou os meus bate-papos. O tal pênalti a favor do Benfica que o árbitro assinalou na decisão da Taça da Liga foi mesmo? A bola não bateu no braço do lateral do Sporting, o brasileiro Pedro Silva; foi no peito.

No entanto, dirão à boca-pequena que sou parcial, que sou verde-branco. Oras, vi muita gente de vermelho enrubescida por comemorar o título do jeito que aconteceu. Na minha parcimônia natural, amante incondicional do jogo, seguidor da certeza de que a única lógica do futebol é não ter lógica alguma, parabenizei os benfiquistas.

Assim são feitos os vencedores e os perdedores: de honra. Mas a história guardará o Sporting como campeão moral. Isso eu não tenho dúvida. Nem que seja a minha história, registrada aqui. Se quiser o contrário, crie um blogue, pá!

Nenhum comentário: