quarta-feira, 25 de março de 2009

Encruzilhada...


Leio no arquivo empoeirado de um escritor barato algumas coisas que me penetram estoicamente. “Uma relação amorosa encontra, cedo ou tarde, uma encruzilhada. Um caminho leva à felicidade, e o outro ao tormento.”

Paulo me procurou para dizer dos ciúmes que o atormentam. Somos repletos de sentimentos, imaginações, mensagens confusas que alimentam toda e qualquer descrença. O ciúme é inquietante, dilacera a alma em alguns segundos.

Com a alma, vai-se também a relação. Paulo sabe disso, e buscou os amigos. Contou-me sobre o fantasma que o persegue de modo implacável. “O caminho feliz é aquele em que um eleva outro.” E o ciúme é o caminho da insegurança, em si e no outro.

Algo, quem sabe, que devemos experimentar. O pequeno incômodo quando se gosta. A dúvida da fé. A fé na cumplicidade. Mas a dose deve ser ínfima, simbólica até. Ninguém consegue investir numa relação sadia com as incertezas à órbita, com o controle, a posse, o rigor à espreita.

Daí a acreditar que uma relação nunca termina na infidelidade. Termina antes: dentro, entre o próprio casal. A traição é a determinação do fim. A rubrica do esgotamento. “Considero ‘tentar’ um dos verbos mais lindos do idioma: denota esforço, sacrifício, combate. Tentar. Sempre tentar, ainda que tantas vezes, em certas noites escuras e frias, tenhamos vontade de dizer: chega, chega, chega.”

Tente curar a doença, meu amigo; e não os sintomas. Entraste na encruzilhada da relação e resta agora escolher entre a felicidade e o tormento. Acredite em si.

2 comentários:

Bembi disse...

e depois dizem que as pessoas não possuem conexões que ultrapassam oceanos.

eu precisava ler isso.
saudade de ti, amigo

beijo

jehoel disse...

Gustavo,

Há elementos que fazem de ti uma pessoa mais do que potencialmente extraordinária, refiro-me, por exemplo a determinados rasgos de lucidez com que nos brindas. A frase que se segue é um deles:

“Daí a acreditar que uma relação nunca termina na infidelidade. Termina antes: dentro, entre o próprio casal. A traição é a determinação do fim. A rubrica do esgotamento.”

Estamos sempre à distância de SER através da acção aquilo que verbalizamos. Portanto, desejo para ti o mesmo que desejo a todas as pessoas, que consigam concretizar plenamente essa ponte, para que realmente SEJAS.

Um Abraço