quarta-feira, 28 de janeiro de 2009

Madrugada sutil

Um bom filme. Um bom papo. Uma boa caminhada. Uma boa brisa fria no rosto. Uma noite agradável. É preciso sempre redescobrir-se. Só. Ou acompanhado.

De pouco a pouco, as conquistas se constroem serenas e sutis. A gente aprende a sonhar acordado e a dormir despreocupado. Pois Lisboa continua acolhedora, em suas ruas quase desertas, com seus cidadãos à espera do autocarro e seus bêbados capengas.

Daqui um ou dois anos não sei onde estarei. E isso não me aflige. O hoje deve ser aproveitado do melhor modo. Ou seja: sensibilidade e leveza. Digam o que disserem. Desejo-lhes beleza.

Um comentário:

Elis Zampieri disse...

"É preciso sempre redescobrir-se."

Como aqueles textos primorosos, os quais lemos e relemos, e nas entrelinhas percebemos detalhes, sutilezas de uma beleza inédita.

Desejo beleza para os teus dias e olhos de poeta para enxergá-la.
Beijos.