quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Noite feliz


Que ceia maravilhosa! Mesa posta com fartura de comida, bom vinho francês, amigos reunidos, conversa animada, muitas risadas, presentes trocados, canções tocantes e, ao fim da noite, um “gordinho” da turma aparece fantasiado de Papai Noel. Ah, cenas tradicionais da festa de Natal. Parecia até filme!

(Mãe, um recado fundamental: se contente com a descrição acima. Não ultrapasse – eu disse NÃO ULTRAPASSE! – a barreira dos asteriscos.)

***

Que noite maravilhosa! Cheguei em casa depois de um dia árduo de trabalho, abri um bom vinho português, tomei um banho quente ao som de Jack Johnson, Amy Winehouse, Gotan Project, Lauryn Hill, Damien Rice, U2 e Joss Stone e fiz um macarrão ao molho branco com milho. Tudo isso só.

Bem, mesmo se disser que era o que eu queria, que estava munido de um arsenal de chocolates – ganhei da dona do café – e que em nenhum momento me senti mal, com certeza vão me tachar de irresponsável, maluco, infeliz ou coitado. O último é o pior.

E daí se quis passar um Natal solitário? Tava cansado, tava afim, tava... não preciso me justificar! Foi uma noite feliz, e pronto. Aliás, agora tenho o “pacote completo”: a virada de 2000/01 passei sozinho, por livre e espontânea vontade. Quer dizer, tive a companhia de uma pizza queimada e alguns desconhecidos no mIRC (lembram-se do mIRC?).

De qualquer modo, era o que eu precisava. Agora também quis comemorar comigo mesmo o nascimento de Cristo – ou foi a morte? Ressurreição? Algum milagre? Confesso que não sei.

Por exemplo: alguém aqui pode contar que lavou roupa na noite de Natal? Pois eu lavei. E não que despreze presenças e histórias ou glorifique a solidão, apenas trato tudo com calma e naturalidade (né, Caeiro?). Se forem pra sentir pena, nem comentem – sei que é um bocado mal-educado pedir isso, mas...

E saibam que meu Natal foi ótimo. O melhor de 2008! – e não estou a exagerar.

5 comentários:

Luciana Lopes disse...

Posso dizer que a minha noite de Natal também foi perfeita. Passei em casa, com o meu padrasto, o filho dele e a minha mãe. Não precisei usar roupa bonitinha ou fazer maquiagem. Passei de camiseta verde e surrada, bermudão e chinelo e antes da meia noite estavamos todos na cama. Preciso dizer o quanto curtir? Passei do meu jeito e a virada de ano também passarei assim, do meu jeito, com ou sem amigos. O importante vai ser o eu estar de bem com o meu eu.

Júlia disse...

Olha, eu descobri que sou desapegada pra essas coisas, depois do meu quarto ano seguido passando longe da minha família e o terceiro trabalhando, me acostumei. Não que eu ache bom, mas tem sido assim.
Feliz Natal pra você mesmo assim!
beijocas

Rui disse...

Gustavo, sou incapaz de contar quantas noites de Natal e Ano Novo que passei de plantão trabalhando. Lastimar é a pior solução. Olhar para dentro e analisar nossas reais necessidades é a melhor maneira para crescer, além de quebrar esta convenção de que temos que nos agrupar para estarmos felizes. Abraços

fashion jewelry disse...

lol,so nice

technology disse...

fendi bag
fendi hand bag
fendi spy bag
fendi bags
dolce gabbana