quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Esperas

Esperar. Está aí o princípio de muitas ofertas da vida. A gente tem de exercitar a paciência, seja num romance, na carreira ou na travessia da rua.

Mas vamos cutucar essa psicologia de botequim – ou de blogue mesmo. Qual é a linha que divide a serenidade do conformismo? Quando termina a parcimônia e inicia a acomodação? Existe barreira entre a paciência e a desolação (ou desilusão)?

“Quem espera sempre alcança”, ensina o provérbio. E, ao mesmo tempo, escutamos dizer que “quem sabe faz a hora, não espera acontecer”. Oras, a qual deles seguir? A esperança é a última que morre ou é a primeira que mata?

Eu fico mesmo com o instinto, com essa voz interior, o saber da alma – mais sensato que qualquer ensimanento de fora. Afinal, os ditados são meras casualidades para tudo o que quisermos legitimar.

Ps.: Decidi escrever sobre o tema após assistir ao filme A Casa do Lago. Tem outra película que trata também da paciência no amor: Diário de uma Paixão, um dos preferidos de minha irmã. Na literatura, sou fascinado pelo mito da Odisséia, que conta a saga de Ulisses e Penélope.

2 comentários:

Drica disse...

Hummm, realmente, filmes inspiradores. Acredito que o tempo quem faz somos nós e realmente o melhor jeito em saber quando agir ou esperar vem da intuição, daquela voz em que te diz: vai, está preparado. Porém, em conjunto à intuição, há igualmente a responsabilidade e essa não é somente pelos atos e consequências mas também pela busca do preparo antes da conquista.
Enfim, para se atingir um objetivo, é necessário responsabilidade, preparo, intuição e coragem. Quando esse pacote é trabalhado, flui a paciência.
Te amoooooo
Bjssssssss

sandoval disse...

E qual é a linha que divide a impaciência da intolerância?

O sujeito chega com um televisor para consertar, numa autorizada, e a atendente pergunta: tá com defeito. E o sujeito responde: não, ele estava cansado de ficar em casa e aí eu resolvi sair com ele prá dar umas voltas!

Impaciência ou intolerância?

Esse negócio de "Quem espera sempre alcança", também é relativo. Alcança o que? o último da fila? o fracasso? o êxito?

Esta minha intervenção não é para explicar nada e sim confundir ainda mais. Qualquer dia, em nova oportunidade, volto ao tema. Tema?