domingo, 2 de novembro de 2008

Morte ainda sem ser

Por conta dessas minhas andanças – que nem são tantas assim –, uma das missões impossíveis que tenho ainda em vida é reunir todas as pessoas que amo e curto estar junto. A lista é modesta, mas verdadeira: tem gente em Brasília, Florianópolis, Goiânia, Porto Alegre, São Paulo e até Roma. Agora passa a receber novos adeptos no Velho Continente.

Os pequenos “adeuses” que distribuo ao longo desse vai-e-vem irredutível me recompensa com grandes “olás”. É igual a coração de mãe, oras: sempre tem lugar para mais um. Queria eu fretar um vôo da TAP e trazer todos para um fim de ano, um feriado prolongado, um dia bem aproveitado.

Se calhar, vou forjar meu velório. É uma excelente idéia, apesar da ironia em só conseguirmos juntar aqueles que gostamos após a morte. O risco que corro nesse plano mórbido é não aparecer ninguém.

***

Vou me sentir no Show da Xuxa, mas quero mandar um beijo para meus antigos colegas de Caixa Econômica. Não faço campanha política nem estou a prevenir um provável velório vazio, é que falei com a Cynthia na sexta e prometi esse “alô”.

Leitores assíduos do blogue, fiquei sabendo que é o Túlio quem noticia quando tem um post novo. Obrigado, meu caro. Este mês transfiro a grana da comissão mais cedo. Quanto ao Fábio, por favor, sem piadinhas para me substituir. Seu tipo de humor é outro. E Jesus, obrigado pelos e-mails carinhosos.

Prezada Cy, cuida da turma. Valeu por atender um sujeito que prefere “não se identificar”. (Sissa, sabia que você era apaixonada por mim, mas não imaginava que sonharia comigo.)

Um comentário:

Luciana Lopes disse...

Passei por aqui só pra falar q vc esta sumido do msn ok?
Apareça.
Abraços.