quinta-feira, 23 de outubro de 2008

O povo cordial

Uma senhora subia a rua íngreme numa lentidão de tartaruga. Cerca de um metro e 50 de altura, 70 anos, vestido negro e cabelos branquinhos branquinhos.

Na mão direita um saco plástico, que balançava de um lado a outro. Apressei meu passo e perguntei se a senhora queria ajuda.

- Ah, não precisa não. Aqui só tem pão... só coisas leves. Obrigada.

Sorri.

- Vocês brasileiros são muito (pausa) assim, né? Não conheço o Brasil, mas sei que vocês gostam muito de ajudar.

Sorri de novo, e voltei para casa flutuando.

2 comentários:

Júlia disse...

Pois é Gustavo,
uma vez quando deixei um senhor entrar na minha frente no ônibus, alguém que estava comigo disse que na Europa as pessoas não fazem isso. Que o idoso entra depois, pra não atrapalhar as outras pessoas de subirem no ônibus, porque idosos são muito devagar.
Bom, achei o cúmulo, dúvido muito. Só viajando pelo velho continente pra saber.
beijão

Drica disse...

Nossa, que legal... e pensar que acá (rsrsrs) nós pensamos que somos os mal educados... mas também não custa nada melhorarmos nossos hábitos e sermos ainda mais educados, não é mesmo?
Bjssssssss Gu