sábado, 27 de setembro de 2008

Vontade de lágrimas

Um turbilhão de sensações me invadiu nesses últimos dias. Sinto sem pensar, penso sem sentir... difícil catalogar tudo. Vêm e voltam, sem que eu peça, sem que eu permita.

Por que esse medo? Por que essa necessidade constante de me explicar a mim e ao mundo? Poderia apenas ser e viver, poderia me suportar nos meus irreparáveis deslizes, poderia aproveitar melhor os momentos felizes.

Ao me focar cegamente nas respostas, formulo as perguntas erradas... e me saio cada vez pior no remendo das histórias. Minha dúvida inquietante é: naturalidade e calma são conquistas do tempo, vêm com a maturidade interior ou nunca me livrarei desse aperto no peito?

(Descobri como conviver e "dobrar" os problemas mundanos e cotidianos, mas ainda não sei lidar com os emocionais. Tenho vontade de lágrimas.)

Nenhum comentário: